O papel das humanidades para o crescimento económico

japan-times-liberal-arts

Os jovens recém licenciados no Japão também enfrentam problemas como estágios de escravatura, formações profissionais extras que nunca mais acabam, precariedade (no sentido em que os contratos já não são seguros e os primeiros anos de salário nem chegam para sair de casa dos pais), e claro, desemprego. Mas, nesse panorama, uma conclusão a que alguns japoneses e também estrangeiros residentes no Japão já chegaram foi o seguinte: o crescimento da economia não pode fazer-se enquanto continuarem a ignorar o campo das ciências sociais e humanas, o da arte e o da cultura.

Em Portugal ainda nem sequer se chegou a essa conclusão… Eu (e uns poucos) andamos a “pregar aos peixes”…

No Japão praticamente não há “tradição” de estudos artísticos de cariz humanista e filosófico, a antropologia é um “alien” e a filosofia é “exótica”. A nação que deu ao mundo pérolas de cultura como a Cerimónia do Chá e a poesia Haiku menosprezou a sua própria fonte de vida.

E por aqui, vamos repetir o mesmo erro?

Leiam este artigo no Japan Times que vale mesmo a pena.

 

 

Vídeos para “O Caminho do Kanji”

O Caminho do Kanji© como método já tinha sido apresentado em vídeo, mas agora planeio publicar pequenos vídeos mais técnicos, com ensinamentos fáceis de acompanhar por quem não pode frequentar as sessões. Claro que só será possível introduzir-se ao conhecimento do kanji através do curso propriamente dito, mas estes vídeos curtos já mostram alguma coisa. Desfrutem! (E partilhem!)