Das tintas ao papel

centro de artes do papel 28 abril _ flyer para imprimir

A pintura sumi-e levou-nos a explorar mais o mundo dos pincéis, das tintas e do papel. Por isso planeamos vir a fazer um workshop muito especial dedicado à produção do próprio papel a partir dos seus elementos essenciais: fibras e água. Teremos o apoio do Jorge Valente, do Centro de Artes do Papel, que nos vai guiar numa tarde de genuína criação.

(todas as fotos pertencem a Centro de Artes do Papel)

Este workshop está também disponível para o público geral e portanto não é exclusivo para os nossos alunos de sumi-e, mas naturalmente apenas até preencher a totalidade das vagas disponíveis. Solicitamos a inscrição por email, do modo habitual, ficando a inscrição registada após comprovativo de pagamento. (Para saber a referência de pagamento por favor envie email para umlongoveraonojapao@gmail.com)

 

 

 

Jikiden Reiki

Jikiden Reiki abril 7 Filomena_ banner

No dia 7 de Abril, às 17h, recebemos a Sra. Filomena Gomes, membro da Associação Internacional de Jikiden Reiki. Esta sessão será uma conferência informal, onde o público é convidado a esclarecer as suas dúvidas sobre Jikiden Reiki e o seu papel na cultura japonesa.

Para participar nesta sessão solicitamos a sua colaboração através do donativo de 2 euros por pessoa, de modo a podermos compensar a deslocação da nossa convidada.

A sessão irá realizar-se na nossa sala habitual, no 1º andar do Instituto Universitário Justiça e Paz, no pólo 1 da Universidade de Coimbra. Não necessita de fazer pré-inscrição.

Clube de Leituras do Oriente em Lisboa

Depois da última sessão especial do Clube de Leituras do Oriente em Lisboa, que tratou dois livros de Shusaku Endo, preparamos agora uma outra sessão especial deste Clube em Lisboa, a qual decorrerá no dia 10 de Março, entre as 16h e as 18h.

Nesta sessão, dedicada ao livro “Pearl Harbor, Lisboa, Tóquio” de Morishima Morito, contamos com a presença de dois ilustres convidados: a tradutora Yuko Kase e o editor Paulo Ramos, principais responsáveis pela publicação desta notável obra em língua portuguesa.

Apesar de o Clube de Leituras do Oriente ser um evento gratuito quando decorre na sala que regularmente usamos (em Coimbra), neste caso necessitamos de pedir a contribuição de cinco euros por pessoa para cobrir as despesas de deslocação e de organização da sessão. Agradecemos a sua compreensão e colaboração.

Para assegurar o seu lugar poderá pedir inscrição antecipadamente por email: umlongoveraonojapao@gmail.com

A editora Ad Litteram disponibilizará livros para venda neste evento pelo que, se desejar fazer a inscrição já com o livro incluído, o valor será quinze euros (sendo o PVP do livro dez euros). Se desejar fazer o levantamento do livro no próprio dia mas ter a certeza que já se encontra reservado recomendamos que o solicite ao escrever-nos email.

Naturalmente, quem já tem/leu o livro poderá levar o seu exemplar para acompanhar as leituras.

Esta sessão irá ter lugar, excepcionalmente, no Canto das Letras, junto ao Departamento de Românicas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Por ser a um sábado à tarde e a instituição poder encontrar-se fechada, recomenda-se que a entrada seja feita como se mostra na figura.

FLL

(38°45’15.7″N  9°09’31.7″W)

Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Alameda da Universidade, 1600-214 Lisboa

Transportes: Metro – estação da Cidade Universitária; Carris – 731, 735, 738, 755, 768

Cartaz oficial do evento:

Morishima morito - livro - clube de leituras - Lisboa - 2018 - CARTAZ

 

Origami Primavera Japonesa

origami funcional - segunda edicao - 31 marco 2018

Segundo workshop de origami funcional, ministrado por Ana Maio/ Indigo Paper Lab, para o programa de estudos japoneses “Um longo Verão no Japão”.

Esta formação em origami será sobretudo prática, visto que a sessão anterior já foi de formação elementar e apresentação dos materiais pedagógicos. Contudo, aceitamos inscrições também de quem não esteve presente na sessão anterior.

Para reservar o seu lugar por favor contacte por email:
umlongoveraonojapao@gmail.com

Evento adequado para toda a família, tendo em conta que as crianças deverão estar acompanhadas de um adulto por elas responsável e igualmente inscrito.

Solicita-se a contribuição de 10 euros por pessoa (8 euros para menores de idade) para a despesa da nossa convidada e os materiais a usar no workshop.

Aprender japonês com séries – 1

しろくまカフェ

Shirokuma Café, isto é, O Café do Urso Polar, foi originalmente criado por Aloha Higa como manga e depois adaptado a anime em 2012. Aqui iremos tratar da sua verão como série, neste caso série de animação, já que esta rubrica se dedica a conteúdos audiovisuais. Para darem uma vista de olhos ao manga, e terem uma ajuda a ler o primeiro capítulo, consultem este vídeo da Misa-san.

shirokuma cafe_1

A série parte do princípio que os animais (ou pelo menos alguns deles) vivem naturalmente entre os humanos, com um modo de falar, comportar-se e viver que é em tudo igual ao dos humanos. Sendo assim, há um certo urso polar que gere um café, localizado numa simpática casinha de madeira no meio de um jardim. O urso polar é uma personagem muito curiosa, e é precisamente a sua personalidade única e sentido de humor surpreendente que dão encanto a esta série. O urso polar simplesmente adora jogos de palavras, e gozar um pouco com os amigos ao mesmo tempo que mantem uma expressão composta e uma sobriedade genial. Outra personagem central é o pequeno urso panda, um adolescente imaturo que é obrigado a procurar um part-time pela própria mãe, que estava farta de o ver desperdiçar tempo em casa. O panda é um tanto egocêntrico e insensível, mas de algum modo nunca chega a ser detestável porque realmente é adorável na sua imaturidade. Junto com o pinguin (que tem um drama pessoal de natureza amorosa) e outros frequentadores habituais do café, a série vai mostrando o dia-a-dia deste grupo de personagens, ao qual não faltam também os amigos humanos.

Para além de ser uma série de grande qualidade gráfica, com peripécias que nunca deixam definhar o enamoramento inicial e personagens muito consistentes e em constante desenvolvimento, o maior ponto a favor do Shirokuma Café para os estudantes de língua japonesa é precisamente o facto de esta série ter sempre, em cada episódio, momentos divertidos ligados aos jogos de palavras, aos equívocos com a língua ou aos múltiplos significados das expressões japonesas. Para fãs de trocadilhos, ou para quem quer perceber os encantos sádicos do japonês, esta é a série perfeita.

Exemplo dos jogos de palavras típicos desta série – vídeo

Dependendo do nível no qual se encontra o aluno, esta série pode ser vista com legendas (existe disponível com legendas em inglês) ou sem legendas, já que os diálogos são acessíveis a um estudante em nível intermédio/avançado. Contudo, nos momentos dos trocadilhos será melhor fazer pausas e anotar os exemplos dados, para que depois se possa ir criando um caderno de estudo. Deverá notar-se também o estilo de uso da língua em personagens distintas, que têm diferentes idades e posições na sociedade. Por exemplo, o aluno poderá anotar expressões do urso panda e expressões do urso polar (fora dos momentos de humor) e “dissecar” as diferenças. Ao aparecer um outro urso – o urso pardo – existe ainda mais um exemplo contrastante. Neste caso o uso da língua japonesa pelo urso pardo é marcado pelo seu estilo de vida e incluí até alguns regionalismos.

Exemplo dos diferentes usos da língua japonesa entre os três ursos – vídeo

A série Shirokuma Café já tem uns aninhos mas nunca se desatualiza porque os temas são interessantes e intemporais: relacionamento entre indivíduos (sejam pessoas ou animais), relação entre trabalho e lazer, desafios pessoais tais como ter aulas de condução ou aventurar-se a fazer uma viagem, etc. Ao contrário de muitas outras séries de animação, as quais usam demasiadas expressões que rapidamente ficam “datadas”, quem aprende japonês com o Café do Urso Polar não corre esse risco. Quando há formas específicas de falar estas dependem mais da personagem em questão do que da data (se é a senhora doméstica de meia-idade/mãe do urso panda ou se é um rebelde roqueiro que se aventura pelo mundo de moto/urso pardo) e esse é precisamente um ponto a favor da série, já que apresenta de modo muito natural como a língua japonesa tem variações específicas para determinados grupos/indivíduos conforme o seu papel na família e na sociedade em geral. Mais uma vez, para que seja uma experiência pedagógica, o aluno deverá tirar anotações, pausando o episódio sempre que necessário, e confrontar as suas dúvidas com os seus manuais e dicionários, ou melhor ainda, com o seu professor/a de língua japonesa.