Finalmente: a viagem!

screencapture landescape japao 2018

logo landescape   contactos landescape

Quando “Um longo Verão no Japão” começou, em Fevereiro de 2013, tinha um sub-título: “conheça o projecto, faça a viagem”. Este subtítulo foi criado no contexto da primeira exposição de fotografias e da sua programação associada (conferências, visitas-guiadas, construção e desconstrução de mapa interactivo, documentário, etc.) e a viagem era ainda essencialmente virtual. Tratava-se de dar a conhecer o que a viagem revela, de emular a experiência para quem não foi, e de criar um paralelismo entre o acto de construir conhecimento e o acto de viajar. Contudo, apesar de ser um sonhinho pequenino e tímido, com aquela vozinha que não se impõe com medo que falar estrague, a vontade de realmente proporcionar a viagem estava lá. Exposições, documentários, artigos e livros é tudo muito bonito, mas o que eu queria mesmo era levar as pessoas lá, guiá-las pelas histórias que eu aprendi pondo um pé à frente do outro. No fundo, era eu-a professora, eu-a guia, euzinha mesmo, como sempre, em tudo o que já fiz, faço e farei.

Tarda, mas não falha. Isto de fazer o caminho é aceitar as curvas e apreciar as surpresas. E, sempre!, aproveitar as oportunidades. A oportunidade surgiu ao travar conhecimento com as pessoas por trás da Landescape, uma espécie-de-agência-de-viagens que não quer ser mais-uma-agência-de-viagens, e que vai crescendo apenas na medida em que alguém queira levar outras pessoas a descobrir um destino que já conhece muito bem e com o qual tem uma relação pessoal que não se fica pelo “turístico”.

Surge então o desafio: planear uma viagem para o Japão. E logo a seguir a necessidade de compromisso: tem de ser o “meu” Japão, mas também tem de ser uma viagem que não ignore 90% das expectativas das pessoas que eventualmente se vão inscrever. Ou seja, não posso fazer uma viagem inteiramente dedicada ao “meu” Japão, tenho também de ter em consideração que as pessoas não fazem um voo de 20 horas e uma viagem de 15 dias para depois voltarem sem terem ido, por exemplo, a Tokyo ou a Kyoto. Compreensível, deu foi um pouco mais de trabalho a planear. Mas, como podem ver aqui, acabei por ficar muito satisfeita com o itinerário. Esta será A Viagem, aquela que desde esse Fevereiro de 2013 estava a pairar no ar, A Viagem que eu queria proporcionar aos outros. E agora, para quem se queira deixar orientar por mim, já há uma viagem na qual se pode inscrever.  Nela poderão reconhecer aquilo que este blog e este projecto têm sempre sido. Só que bom, bom mesmo, é que agora vos posso levar (quase) pela mão aos lugares reais de toda essa grande estória (e através da História) que é a relação entre Portugal e o Japão.

Por causa desta viagem foram também agendados alguns eventos complementares, os quais estão – como sempre – abertos a todo o tipo de público mas foram criados a pensar especialmente naqueles que, uma vez decididos a embarcar neste itinerário, querem um cheirinho da viagem antes mesmo de fazer as malas. No dia 19 de Maio temos um workshop linguístico dedicado às 10 expressões mais úteis em japonês, no dia 23 de Junho pode participar na tertúlia Tradições e contradições na experiência do viajante, e se quer mesmo “arranhar” algum japonês para usar na viagem (um jantar fora, umas comprinhas sem correrias, a aventura de ir a uma “conbini” sozinho) recomendamos que se inscreva no Curso intensivo de iniciação que decorrerá durante o mês de Julho aos sábados.

E se alguma questão surgir, já sabe, nunca deixamos um email por responder:

umlongoveraonojapao@gmail.com

 

 

 

 

Quem quer viajar ao Japão? (parte II)

conferencia 23 junho

23 de Junho (sábado), às 17h. Sala do Programa de Estudos Japoneses, Instituto Universitário Justiça e Paz, Coimbra.

Nesta Conferência, e na tertúlia que se lhe segue, iremos abordar várias situações e experiências que se focam nas expectativas dos viajantes (especialmente se é a primeira viagem ao Japão) e na realidade deste destino de viagem. Estaremos também disponíveis para responder ás questões de quem vier assistir a esta sessão.

Algumas “tradições” são as tradições do país e da sua cultura, outras são as tradições inventadas no contexto do turismo como indústria e fenómeno sócio-cultural. Quanto às “contradições”, estas dizem sobretudo respeito aos ajustes que se tornam necessários quando se contacta com uma civilização com conceitos, valores e comportamentos tão diferentes, o que significa por exemplo, num nível prático, saber o que não fazer / o que evitar, e também preparar o viajante para interpretar correctamente algumas coisas que, de outro modo, poderia não compreender ou julgar equivocamente.

Contribuição de 2 euros por pessoa.
Para mais informações contactar por email:
umlongoveraonojapao@gmail.com

Quem quer “viajar” ao Japão? (parte I)

19 maio workshop linguistico

19 de Maio (sábado), das 17h às 18:30h, no Instituto Universitário Justiça e Paz.

Neste workshop linguístico aprenderá a pronunciar, compreender e usar as 10 expressões mais úteis em língua japonesa (e outros conteúdos associados), as quais farão toda a diferença na sua experiência de viagem.

Este workshop foi concebido para aumentar a qualidade da experiência daqueles que planeiam visitar o Japão brevemente, desejando conhecer previamente alguns elementos da sua língua, cultura, história e sociedade. Para além deste workshop linguístico existem outros eventos de formação previstos, ao longo dos meses Maio, Junho e Julho.

Para mais informações escreva-nos para umlongoveraonojapao@gmail.com

Contribuição para este workshop:
10€/pax – com todos os materiais pedagógicos incluídos.

Colaboração com site Japantravel.com

japantravel logo japantravel loco letras

O site japantravel.com é um portal multilingue que concentra toda a informação sobre turismo no Japão, e não só! Também tem informação sobre experiências, actividades, festivais, gastronomia, galerias de fotos, etc. O portal tem ainda uma versão em língua portuguesa.

Ao contrário dos websites de agências governamentais ou autoridades regionais, que têm as suas próprias agendas, este site é feito por colaboradores independentes, preferencialmente residentes no Japão ou que já tenham aí estado, tanto japoneses como não-japoneses. Todos os artigos publicados passam por uma revisão e têm se ser suportados pela equipa editorial, constituída por profissionais.

A colaboração da autora do projecto cultural e pedagógico “Um longo Verão no Japão” com este site visa realizar traduções de artigos relevantes e também artigos originais em língua portuguesa, sobretudo pensados para melhorar a experiência do visitante português no Japão, com foco nos conteúdos de cultura, história e arte. Desse modo, apesar de ser uma iniciativa em nome individual, não está distante dos objectivos fundamentais deste projecto: aproximar os portugueses e os japoneses através do conhecimento mútuo, a partir da investigação na área do património cultural.

Os artigos são redigidos sem suporte de patrocinadores, ligação com instituições, sítios ou marcas que eventualmente nele sejam referidos (se o forem, reflectem apenas a impressão subjectiva do seu autor e não representam contrapartida alguma). Cada autor tem os seus próprios critérios para associar os seus artigos a outras áreas de criação  e actividade, embora os artigos publicados no japantravel.com em si mesmos sejam artigos não remunerados. Portanto os princípios do projecto cultural e pedagógico “Um longo Verão no Japão”, que sempre foi e será uma iniciativa sem fins lucrativos, estão igualmente em sintonia com esta nova colaboração.

Os dois primeiros artigos originais estão já disponíveis: uma apresentação da cidade de Kobe e de um itinerário para a visitar.

Também está disponível a tradução de um artigo original de Tomoko Kamishima, dedicado aos Jardins e Casa de Glover em Nagasaki, e que pode ler – agora em português –  aqui.