Aprender com a prática

As experiências de turismo imersivo distinguem-se do “turismo” porque dão primazia à aprendizagem prática em contexto de imersão. Estamos acompanhados de japoneses e é através deles e em actividades integrativas que temos a experiência do Japão.

received_2405680886418528

Para além dessa missão, sempre presente quando estamos de visita ao país do sol nascente, também temos naturalmente de lidar com as circunstâncias habituais de estar sujeito ao clima. Assim, num dia particularmente chuvoso, e no qual foi necessário activar o “plano B”, visitámos um dos nossos recantos preferidos de Kyoto.

Neste espaço, que congrega vários artesãos locais e proporciona workshops guiados por especialistas, tivemos a oportunidade de usufruir de uma hora de formação sobre a história e usos dos incensos e outras preparações herbais na cultura milenar de Kyoto, e também nos foi possível praticar fazer essas mesmas artes sob uma amigável orientação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O resultado? Saquinhos de seda de kimono cujo interior guarda misturas aromáticas e medicinais, e que poderão ser usados entre 18 e 24 meses, tanto para conservar roupas e outros têxteis como para dar um bom odor a divisões domésticas.

Com o nosso programa de visita ao Japão e orientação na perspectiva do turismo imersivo, foi possível realizar este workshop sem marcação prévia (decidimos no próprio dia), por cerca de 20 euros por pessoa, sem tempo de espera, tendo ficado com o resultado final do mesmo para nosso “souvenir”.

received_643203889501533

 

 

 

 

 

Um recanto fora do tempo

Murin-an, em Kyoto, é um jardim mas também é uma casa no meio desse jardim, é o espaço da propriedade e tudo o que alberga, mas não seria exagero dizer que é também o espírito de ancestralidade japonesa cristalizada. A belíssima habitação, que data de 1848, é apresentada pelos anfitriões, versados em artes tradicionais como a Cerimónia do Chá, a Arte dos Jardins, e o Kitsuke (o saber vestir aplicado ao kimono). O espaço é gerido pelo governo municipal de Kyoto e existe um programa de actividades culturais muito selecto ao longo do ano. As vagas são limitadas e os participantes têm de se candidatar com vários meses de antecedência, sendo ainda assim escrutinados minuciosamente. O espaço pretende proporcionar o verdadeiro enaltecimento da alma, o aumento da nobreza do saber e do refinamento. Não é o Murin-an que precisa dos visitantes, somos nós que precisamos dele. Ali, a natureza avassaladora do jardim preenche tudo: a vista, o espaço, a mente. E a escala redimensiona-se dentro e fora do ser. O ego desaparece, algures entre um golo de chá ou uma conversa de voz suave sobre o modo de atar o obi.

A partir de 2020, o Murin-an estará acessível a quem nos procurar para serviços de consultoria para planeamento de viagem, na qualidade de uma das nossas experiências de Turismo Imersivo. Apresentamos aqui algumas das fotografias que nos foram gentilmente cedidas.

Este slideshow necessita de JavaScript.